Agro-QUINTA de s. gens

Uma Quinta Brasonada, às portas da cidade de Ourém

A Quinta de S. Gens é uma quinta brasonada, às portas da cidade de Ourém, com inúmeros hectares de floresta variada e vinha, dominados por uma importante casa senhorial do séc. XVIII , com uma implantação de cerca de 4000 m2.


A Quinta de S. Gens é mandada edificar no ano de 1688 por António Home de Magalhães, morgado das terras de S. Gens e em 1735 passa para o seu herdeiro, o sargento-mor Luiz Valentim Leite Home de Magalhães.


Certo é que em 1756 a quinta continua em ampliações, sendo que data desta época a construção ou reconstrução do lagar de azeite e do moinho de farinha, atribuindo a esta quinta, funções agrícolas e de habitação permanente.


Na sequência da recuperação da casa senhorial com as suas magnificas salas que proporcionam espaços sociais para eventos, a Quinta de S. Gens aposta num novo projecto turístico, onde os extensos caminhos florestais, a vinha, o olival e o enquadramento paisagístico “único na região”, a levam a vocacionar-se para o enoturismo e a realização de eventos, com uma deslumbrante vista para os Castelos de Ourém.

A Região

O cultivo da vinha no Concelho de Ourém data a épocas anteriores à fundação de Portugal, no séc. XII. O primeiro foral concedido a Ourém por D. Teresa – filha de D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal – confirma que a vinha era considerada uma das culturas mais importantes desta região.

A região de Ourém faz hoje parte da região vinícola de Lisboa, caracterizando-se esta região por uma orografia ondulada, mas suave e um clima igualmente suave devido à proximidade da Serra d’ Aire.

É uma região privilegiada quanto à sua localização: próxima de Fátima, a 10 km da A1, próxima de Leiria e de Tomar, a 7km do IC9, centros hoteleiros com grande capacidade de alojamento. Fica também a meio caminho entre Lisboa e Porto.

As Vinhas

As vinhas são sem dúvida um dos ex-líbris da Agro Quinta de S. Gens, onde as castas predominantes são a Castelão, Baga e Trincadeira, nas uvas tintas, e Fernão Pires, nas uvas brancas.


Santos Delgado em 1926 in “Vinhos Esquisitamente Singulares” dizia: pela particularidade do seu solo, escolha das suas plantas e método do seu fabrico… os seus produtos são realmente duma apresentação que encanta. Ligeiros, finos, hilariantes, sobretudo, esses vinhos reúnem tais qualidades e agrados, que podem ao mesmo tempo extasiar o paladar e a vista. Por isso a toda a parte onde chegam, por justo título têm de todos uma estima, um apreço e uma preferência esquisitamente singulares.


A Quinta de S. Gens produz o vinho Brasonada (tinto, DOC) cujas castas são a Castelão e Baga que é um vinho seleccionado e amadurecido em barricas de carvalho, sendo depositando, já engarrafado nas caves da casa, para descanso, e só depois é rotulado e comercializado em pequenos lotes. Produz também o Brasonada (branco, DOC) cuja casta é a Fernão Pires. Produz ainda o vinho tinto – Quinta Agrícola de S. Gens – regional em que a casta predominante é a Castelão.


A Quinta de S. Gens contribui com as suas uvas para o fabrico de um vinho histórico - o Medieval de Ourém – feito de acordo com os métodos artesanais dos Monges de Cister há 9 séc. atrás, a partir da casta branca Fernão Pires, à qual se adiciona a casta tinha, Trincadeira, produzindo um vinho único, nesta região para acompanhar os deliciosos pratos da típica gastronomia.

A Quinta

A Região

As Vinhas